“Se a porta abrir, você vive. Se não, vou te executar”

:: El Pais em 20/06/2017 10:01 ::

“Foi uma carnificina aquele dia, eu comparo o que aconteceu com Auschwitz [campo de concentração nazista], Camboja [onde o Khmer Vermelho matou quase 2 milhões de pessoas nos anos de 1970] e outras tragédias que eu via só em filme ou livro”, afirma Sales em conversa com o EL PAÍS na terça-feira. Os acontecimentos que levaram a polícia a invadir o pavilhão 9, que abrigava em torno de 2.500 detentos de um total de 8.000 do presídio, começaram cerca de três horas antes.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios