Estudo analisa estágio supervisionado obrigatório de Engenharia de Produção

:: UFJF em 14/07/2017 15:00 ::

Com objetivo de compreender as relações entre empresa/instituição e o estágio supervisionado obrigatório do curso de Engenharia de Produção da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o acadêmico Antônio Sávio Teixeira Carneiro analisou a importância desta prática para a formação dos acadêmicos. A pesquisa foi apresentada no Programa de Pós-Graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública.

A dissertação teve como foco investigar a legislação que regulamenta a atividade do estágio e a Lei nº 11.788 de 25 de setembro de 2008, a qual descreve os principais participantes da atividade do estágio, sendo eles o estagiário, a instituição de ensino e a empresa.

“Além dessa legislação, esta pesquisa também investiga as competências necessárias ao profissional da engenharia descritas nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN’s) dos cursos de engenharia bem como a dualidade teoria-prática e a relação entre os participantes”, esclarece o pesquisador.

Antônio Sávio revela que o interesse pelo tema surgiu em função de suas atividades na coordenação do curso de Engenharia de Produção e pelo fato de vivenciar determinadas questões relacionadas a este tema. O mestrando acredita que o trabalho contribui para a sociedade por acreditar que o problema de pesquisa pode ser realidade de outros cursos da Universidade. “Este trabalho destaca que a relação entre os envolvidos na prática do estágio deve ser feita de forma mais próxima possível, visto que, caso exista um distanciamento entre professor orientador e aluno e/ou instituto de ensino superior e empresa, todos os envolvidos perdem ao ter essas relações enfraquecidas, e prejudica o desenvolvimento de competências por parte do discente”, aponta o acadêmico.

Segundo o professor Orientador, Marco Aurélio Kistemann Júnior, durante o curso de Engenharia de Produção, a fase do estágio é fundamental para a formação dos futuros engenheiros, pois esta experiência retrata a realidade que será vivenciada pelo profissional após formado. Marco Aurélio aponta, ainda, que é neste período que o aluno “empregará suas habilidades e competências adquiridas para solucionar problemas e produzir novos conhecimentos in loco”.

Outro ponto destacado por o Kistemann é a evidenciação de uma melhor aproximação entre o professor orientador e o estagiário. “Nesta pesquisa apresenta-se como produto um Plano de Ação Educacional (PAE) que salienta a necessidade de um projeto de estágio em que os envolvidos estejam mais ativos e participantes ao longo do processo, de modo a propiciar no estágio uma experiência profissional cada vez mais próxima da realidade.”

Contatos:
Antônio Sávio Teixeira Carneiro (mestrando)
antonioc.mestrado@caed.ufjf.br

Marco Aurélio Kistemann Júnior (orientador – UFJF)
kistemann1972@gmail.com

Banca Examinadora:
Prof. Dr. Marco Aurélio Kistemann Júnior (orientador – UFJF)
Prof. Dr. Marcos Tanure Sanábio (UFJF)
Prof. Dr. Carlos Mathias Motta (Universidade Federal Fluminense – UFF)

Outras informações: (32) 4009-9319 – Programa de Pós-graduação em Gestão e Avaliação

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios