“Estamos sofrendo, mas continuaremos gritando”: a tragédia do Rio, do pódio à lama

:: El Pais em 16/07/2017 21:15 ::

Filipe Moreira vivia seu momento de glória aos 36 anos. Primeiro bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, era o protagonista de todo o repertório da companhia e a crítica o considerava “um dos maiores talentos do balé clássico dos últimos tempos”. Elogiavam sua virilidade e sua excelência interpretativa, também sua técnica, com as quais triunfou nos palcos de toda a América do Sul e da Flórida. No último mês de dezembro, despediu-se do público interpretando Casnacueces, de Chaikovski. Dois meses depois, estava no volante de um uber.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios