Juízes e procuradores agem como “casta privilegiada”, por Kennedy Alencar

:: GGN em 11/08/2017 12:16 ::

Categoria:

Análise

Foto: Agência Brasil
PGR%20Jos%C3%A9%20Cruz%20Abr.jpg

Jornal GGN – “Receber acima do teto também é uma forma de corrupção”, diz o jornalista Kennedy Alencar a procuradores e juízes que insistem em receber reajuste salarial acima de 16% em meio a uma crise econômica que elevou o desemprego no Brasil e acentuou a desigualdade social.

Em artigo publicado nesta sexta (11), Kennedy comenta a reação de entidades que defendem juízes e procuradores à decisão do Supremo Tribunal Federal, de não conceder o reajuste.

O jornalista afirmou que é “inacreditável” que as categorias tenham usado um argumento tão esdrúxulo para justificar o sentimento de que estão sendo prejudicadas. Elas afirmaram que estão sofrendo retaliação por combaterem a corrupção com independência.

Na visão de Kennedy, o que juízes e procuradores fazem é criar o “patrimonialismo moral.” “Essa elite, desde o colonialismo português, gosta de se apropriar de fatias do Estado em benefício próprio, vivendo como uma casta privilegiada em meio a uma enorme desigualdade social”, disparou.

O jornalista ainda endossou que os procuradores e juízes deveriam contrariar a ilegalidade de receber acima do teto constitucional em vez de agirem como se o teto fosse um piso.

leia mais

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios